Perna de Palin

Nunca uma catequista com ameaças de celulite sonhou poder chegar tão longe: acólita dum piloto de guerra, praticamente uma co-pilota de guerra. Os extremos têm-se tocado nas reacções, mas as mais bem esgalhadas são de facto aquelas que vêem uma ratice suplementar em Mc Cain por ter escolhido uma mulher-catequista para o pleno de sacar votos à esquerda, empolgar o volátil mulherio, e fixar o sufrágio da malta que recita as epistolas de s.paulo entre churrrascos, deixando o black one ( claramente em dominação pela sua mulher guerreira (*)) entalado por ter resistido a escolher Hillary, um dos vértices opostos a Palin no paradigma feminino, Broodway against Alasca, hard freedom versus sweet dogma, Chanel versus H&M.

Ora o modelo ‘Catequista’ sempre significou no imaginário masculino um ícone de desejo e sublimação - dê um passo em frente o primeiro gajo que na sua fase iniciática aos grandes mistérios da humanidade não acordou com a imagem da catequista a decorar-lhe o cortinado (falo especialmente para aqueles que dormiam virados para a janela) qual profano sudário. Um verdadeiro tesouro politico. A mulher-catequista com o homem-soldado cumprem o binómio que faltou às últimas legiões romanas emboscadas no meio de tanto bárbaro. Poderá ser finalmente concedida a dignidade de Estado a um dos grandes filões escondidos do feminismo ocidental: the woman of the fresh faith, a mulher cujo traçado de perna reflecte apenas uma serena cumplicidade com o inefável.

{Deverá, assim, ser também um recurso a explorar pelos partidos portugueses, que mais recentemente têm optado pela opção, notoriamente mais bafienta, da sacristia. E Deus Nosso Senhor seria incapaz de negar o que quer que fosse a quem O serviu com diligência na espinhosa missão de explicar a um catraio ainda tenrinho como é que alguém fica famoso só por transformar água em vinho}.


(*) que quantas vezes não lhe terá dito: ‘se perdes com a cabra da loira ficas a pão e água’…

(na foto Palin e o marido, enquanto ela lhe explica que não pode jogar à cabra cega porque tem uma rotura no 6º mandamento cruzado)

2 comentários:

MC disse...

catequista... :)

Hoje os noticiários mostravam a senhora a despedir-se do filho e do batalhão que rumava ao Iraque. Parece que prometeu que ia rezar por todos. lá está: catequista.
Ganhando prepara mais umas guerrazitas com umas rezas nos intervalos. Esperemos é que Deus Nosso Senhor fique surdo de ambos os ouvidos.

aj disse...

o mc cain esteve indeciso entre ela e uma catequista do massachusets, mas esta foi preterida porque uma vez foi apanhada a falsificar umas rifas de tupperwares num churrasco no connecticut, e olhe, confederou-se :).