É dentro desta perplexidade, verdadeiramente dialéctica, que nos atrevemos a especular (*)

Considerando que no último livro do G. Steiner (vide uns posts abaixo) o capítulo sobre os judeus, onde ele diz que estes foram «escolhidos por Deus como pára-raios», é mais fraquito do que o das gajas, sou forçado a ter de voltar a uma temática praticamente de fusão.

E vou já directo ao assunto: também existem os homens possuidores de particulares atributos para afagos de índole meramente passageira - que toda a mulher sofisticada valoriza, quando não exige. São os príncipes de passagem. Aqui vai a meia dúzia deles, igualmente.

Homens Bomba d’Ar – Insuflam muito benzinho, repõem fôlegos, regularizam ritmos pneumáticos, relembram que a hidráulica é que é a verdadeira ciência do espírito e não a teologia.

Homens Tubo d’Escape – Essenciais para qualquer mulher que seja de forte combustão. Ao não servirem para pistons, e também não estando dispostos a fazer de semi-eixos, fornecem o serviço de eleição para aliviar e desenjoar dos restos dos verdadeiros êxtases.

Homens Vileda – Espécimes com boas propriedades de absorvência rápida, limpam passados de forma exemplar, e ajudam a deixar o piso como novo e a brilhar para os convidados que se sigam; os mais preparados logram inclusivamente deixar algum tratamento anti-derrapante

Homens Filtro – São bastante recomendados para seleccionar e extirpar impurezas que venham ficando da lubrificação oficial feita com os produtos de marca. Geralmente apresentam uma porosidade e resistência muito apreciável, quais peneiras de aço revestidas a papel cavalinho. Os mais completos ainda permitem as clássicas opções de centrifuga para a frente.

Homens Parnaso – Permitem à mulher pensar que lhe basta usar saltos altos e ter a depilação em dia para já poder ser musa. No fundo, elevam o ideal de ‘a mulher pela mulher’ mais alto que os Beatles elevaram o sargento pimenta.

Homens Tantum Verde – Possibilitam que a mulher periodicamente refresque e bocheche um pouco os neurónios, e inclusive treine a gargalhada terapêutica. O riso na mulher funciona como uma espécie de wonderbra de charme e ela, consciente disso, não dispensa um Cantiflas entre os Ulisses.

.

(*) Frase do próprio G. Steiner em ‘A Bíblia Hebraica e a Divisão entre Judeus e Cristãos’ (1996/trad.2006) na parte em que ele se dedica a dissertar sobre as razões, consequências & shoah’s relacionados com a negação judaica da vinda do Messias.


2 comentários:

MC disse...

ah, bom! isto é uma enciclopédia. O homem perfeito, vêm em que volume?

aj disse...

Mas MC, todos estes são perfeitos, dentro do seu (deles) género! :)