O Sebastião da Gama comparado com isto é um pindérico

A maturidade dum blog expressa-se ou pelo seu encerramento (opção maricas) ou por começar a responder ao correio dos leitores. Imaginários. Ou não.


Gloria,

minha querida, estimo a sua preocupação em ver-me lido e compreendido, em ver-me mesmo acarinhado por quem as minhas palavras já aqueceram em noites de gélida solidão ou madrugadas de baço orvalho. Constato ainda que se apoquenta um pouco com a presença duma convidada neste espaço de encantos contraditórios e de recantos pouco namoradeiros, mas não leve isso muito a peito trata-se duma amiga de alma provocadora e rebelde, amante das intermitências e dos vazios, e que só não se chega mais à frente porque ainda não confia totalmente em mim e tem medo que eu salte de surpresa em surpresa até ao desprendimento total. A um homem fica mal apregoar-se de confiança, mas eu acho-me pessoa pacata e de quase bucólicos costumes, temeroso de incomodar e de criar sobressaltos de alma a quem quer que seja, quanto muito uns suaves turvamentos ou uns pequenos chiliques, mas nada mais quero do que quem por aqui passe, como a senhora tem a atrevida gentileza de fazer, leve um pouco de mim consigo como se duma merendinha eu me tratasse, como se dum regaço fosse feito o seu olhar. Dizeis-me num esforço de concretização que não cuido em conveniência de quem se esforça por me ler, que não veneio nem venero quem me dá a guarida da sua atenção, que trabalho com arrogância masculina os desejos da ovulação que me circunda, e que assim só me restará ir esperando arrastada e penosamente o dia do absoluto esquecimento. Que seja; será na imensidão dessa solidão que me fabricarei doravante, será deste público degredo que elevarei a minha alma ermitando o ser num penedo de palavreado ora gasto ora em sobejamento. Por si lido será a bênção que qualquer moribundo tem por direito, meu anjo, que lhe chamaria não fosse com a sua pena me poder perder em qualquer engasgaria. Seu, o que por baixo se edita em nome próprio e primeiro.

1 comentário:

Luis Alfredo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.